Aproveite a feira e os livros

A Feira do Livro de Porto Alegre chega a sua 65ª edição neste mês de novembro. Para celebrar esse evento, um dos maiores da América Latina e considerado patrimônio cultural do estado e da cidade, o Instituto Sucessor preparou uma lista com sugestões de livros, dos mais variados gêneros, que você encontrará nas bancas da Praça da Alfândega.

Boa Leitura!

Felicidade conjugal, Lev Tolstói

Publicada em 1859, quando o escritor tinha pouco mais de trinta anos, Felicidade conjugal é talvez a primeira obra-prima de Lev Tolstói. Com um talento incomum para descrever os estados de alma de suas personagens, Tolstói põe em destaque a figura da jovem e bela Mária, que narra as várias etapas de sua vida amorosa, desde o primeiro despertar dos sentidos até o momento em que, tendo experimentado por si mesma o absurdo da existência, ela pode, enfim, voltar à própria vida.

A vida não me assusta, Maya Angelou

A vida não me assusta é um pequeno livro de arte para crianças valentes, que enfrentam fantasmas e meninos brigões da escola com a cabeça erguida. Mas se você é daqueles que têm medo até da própria sombra, fique esperto, pois esse livro pode muito bem ser a inspiração que faltava para você trazer à tona toda a sua coragem.

Sol de Outono, de Luiz Carlos Osorio

Um caminhante solitário numa praia deserta é atingido por um raio de sol refratado ao tocar o cume de uma montanha à hora do crepúsculo e se fragmenta em sete criaturas. Essas, através do intercâmbio de ideias e opiniões entre si, dão-se conta do que lhes acontecera. A partir disso saem vida e mundo afora em busca da consolidação de suas identidades pessoais e à procura de um sentido para suas vidas.

Cuide dos pais antes que seja tarde, Fabrício Carpinejar

Nesta obra, Carpinejar mergulha em sua própria intimidade ao se lembrar de seus pais. Faz confissões, desabafos sinceros e aconselha todos aqueles que ainda têm pai e mãe vivos a valorizá-los, tudo isso de maneira poética e verdadeira. A inevitabilidade da morte permeia a obra, com reflexões sobre o que podemos fazer para lidar com ela de modo a torná-la menos dolorosa.

Empresas Familiares: Como salvar ou destruir? – Casos práticos sobre a análise da governança corporativa, de Cláudio Fróes Peña  e Robert Juenemann

Nesta obra, o advogado Robert Juenemann e o empresário Cláudio Fróes Peña procuram disseminar a governança e demonstrar como é possível organizar a empresa e disciplinar a família, perpetuando o negócio e reforçando a importância dos laços familiares.

Ponto de inflexão, Flávio Augusto da Silva

Existem momentos que você precisa encarar como se fossem saltos de bungee jump. Mesmo com medo de errar, inseguro ou com o “pé atrás”, você vai precisar tomar decisões fundamentais que podem mudar sua vida. Saber lidar com isso é o tema principal do livro Ponto de Inflexão

Essencialismo: A disciplinada busca por menos, Greg Mckeown

O essencialista não faz mais coisas em menos tempo – ele faz apenas as coisas certas. O essencialismo é mais do que uma estratégia de gestão de tempo ou uma técnica de produtividade. Trata-se de um método para identificar o que é vital e eliminar todo o resto, para que possamos dar a maior contribuição possível àquilo que realmente importa.

A estratégia do oceano azul: Como criar novos mercados e criar a concorrência irrelevante, W. Chan Kim e Renée Mauborgne

Com base em um estudo de 150 movimentos estratégicos (que abrangem mais de 100 anos e 30 setores), os autores afirmam que o êxito duradouro não decorre da disputa feroz entre concorrentes, mas da criação de “oceanos azuis” – novos e intocados espaços de mercado prontos para o crescimento.

De um gole só: A história da Ambev e a criação da maior cervejaria do mundo, Ariane Abdallah

Em De um gole só, a jornalista Ariane Abdallah reconstitui a biografia da AB Inbev – desde a compra da Brahma, em 1989, pelos sócios do Banco Garantia Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira, passando pela formação da Ambev, em 2000, até se transformar na cervejaria número 1 do mundo.

O poder da empatia: A arte de se colocar no lugar do outro para transformar o mundo, Roman Krznaric

Nesse livro, o filósofo e historiador da cultura Roman Krznaric sustenta que, ao contrário do que pensamos, não somos eminentemente autocentrados, pois nosso cérebro é equipado para a conexão social. Baseado em mais de 12 anos de pesquisas em diversos campos do saber, ele nos leva a uma jornada através dos séculos para mostrar por que devemos desenvolver a empatia, ensinando ao mesmo tempo como é simples praticá-la.

Design Thinking – Uma Metodologia Poderosa Para Decretar o Fim Das Velhas Ideias, Tim Brown

Este livro introduz a ideia de Design Thinking, um processo colaborativo que usa a sensibilidade e a técnica criativa para suprir as necessidades das pessoas, não só com o que é tecnicamente visível, mas com uma estratégia de negócios viável. É uma abordagem centrada no aspecto humano destinada a resolver problemas e ajudar pessoas e organizações a serem mais inovadoras e criativas.

Conversas difíceis, Douglas Stone, Bruce Patton e Sheila Heen

Este é livro esclarece aspectos críticos da interação humana e demonstra como conduzir situações como pedir um aumento, fazer uma crítica, terminar um relacionamento, dizer não a alguém que precisa, se desculpar, discordar do grupo e tantas outras. Escrito por professores da Harvard Law School, apresenta uma importante ferramenta de educação e negócio para quem precisa lidar com crianças, pais, inquilinos, fornecedores, clientes, membros de equipe, pacientes e empregados.

Minha história, Michelle Obama

Em suas memórias, um trabalho de profunda reflexão e com uma narrativa envolvente, Michelle Obama convida os leitores a conhecer seu mundo, recontando as experiências que a moldaram — da infância na região de South Side, em Chicago, dos anos como executiva tentando equilibrar as demandas da maternidade e do trabalho, até o período em que passou no endereço mais famoso do mundo.

Elis e eu, João Marcello Boscoli

“Você lembra da sua Mãe?”. O autor escuta essa pergunta há muitos anos. E quase sempre em situações corridas do dia a dia, sem muito espaço para responder. Então resolveu escrever tudo ao alcance da sua memória e compartilhar, como se cada leitor ou leitora fosse um amigo ou amiga com quem tem intimidade e tempo. Não houve pesquisa externa, consultas biográficas ou conversas; apenas suas lembranças.

Prólogo, ato, epílogo,  Fernanda Montenegro

Em Prólogo, ato, epílogo, Fernanda Montenegro narra para Marta Góes suas memórias numa prosa afetiva, cheia de inteligência e sensibilidade. Com sua voz inconfundível, ela coloca no papel a saga de seus antepassados lavradores portugueses, do lado paterno, e pastores sardos, do lado materno. Lidas hoje, são histórias que podem “parecer um folhetim. Ou uma tragédia” — gêneros que a atriz domina com maestria.

Plano B, Sheryl Sandberg

Plano B combina as percepções pessoais de Sheryl Sandberg, chefe de operações do Facebook, com a pesquisa esclarecedora de Adam Grant, autor best-seller do New York Times, para ajudar o leitor a encontrar forças diante da dificuldade. O livro traz importantes lições de como ajudar os outros em situações de crise, desenvolver compaixão por nós mesmos, educar filhos fortes e criar famílias, comunidades e locais de trabalho resilientes.

Todas as páginas de Henrique Leão Kiperman, Eugenio Esber

De seu modesto baú recheado de livros médicos, tirou uma livraria. Da livraria, ele fez uma editora,  que se tornou referência no Brasil e no exterior por publicar o melhor conhecimento em medicina, psicologia, educação, administração e outras áreas. Publicou mais de 4 mil livros. Só não queria publicar um — aquele que penetrasse em sua cidadela para desvendar quem era o enigmático “Henrique da Artes Médicas”.

Walking The Talk: A Cultura Através do Exemplo, Carolyn Taylor

A autora descreve com clareza o que é Cultura dentro de uma organização e mostra sua importância na condução da estratégia. Ao mesmo tempo, conduz o leitor, passo a passo, pela jornada de conceituar e implantar a Cultura adequada aos seus objetivos.