Identidade familiar: essência e rumo

Membros de famílias empresárias e consultores reuniram-se na manhã de terça-feira, 19 de novembro, para o lançamento do caderno Identidade da Família Empresária – Um elemento de coesão para a continuidade dos negócios, desenvolvido por grupo de trabalho composto por integrantes da equipe do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) e pela Comissão de Empresas de Controle Familiar. O artigo foi apresentado aos participantes por Tiago Salgado, um dos membros da Comissão e integrante de uma família empresária.

A publicação, que está sendo lançada nas principais capitais brasileiras, aborda a importância da identidade familiar para a longevidade dos empreendimentos das famílias empresárias e propõe uma reflexão em torno da construção dessa identidade, do modo orgânico como é composta – a partir dos valores e princípios do núcleo familiar fundador –, e da sua responsabilidade em dar o  tom de atuação da empresa.

Após a apresentação do caderno, foi apresentado o case Quinta da Estância. Em uma fala repleta de espontaneidade, a fundadora do empreendimento, Sônia Sittoni Goelzer, contou a história de sua família e de como essa identidade familiar norteou a criação da empresa. Rafael Sittoni Goelzer, filho de Sônia e diretor de Relacionamento com Mercado da Quinta da Estância, apresentou o momento atual da empresa – a maior fazenda de Turismo Educacional e Eventos do Brasil –, e como é conduzida a governança e a participação da família no negócio.

Convidada pelo IBGC, a fundadora do Instituto Sucessor e consultora de famílias empresárias, Magda Geyer Ehlers, mediou uma conversa entre os palestrantes e a plateia. Diante das perguntas, Sônia e Rafael destacaram também o papel fundamental de um profissional na condução do processo de governança e em seus órgãos, como o Comitê Gestor.

Para a consultora de famílias empresárias do Instituto Sucessor, Mônica Böhme, o lançamento do artigo em Porto Alegre demonstra a importância do Rio Grande do Sul no cenário das empresas familiares.

“Somos um estado formado, em sua maioria, por imigrantes. E as mais longevas empresas foram fundadas por esses imigrantes ou por seus filhos e netos. Isso é algo que se reflete na identidade da família e da empresa, algo que precisa ser conhecido e reconhecido como fundamental para o cultivo dos valores e princípios”, define, Mônica.

O caderno Identidade da Família Empresária – Um elemento de coesão para a continuidade dos negócios está disponível para download no site do IBGC.