A história do empreendedor que transformou o varejo inglês

Voltar ao início do Século XX e vivenciar as mudanças de comportamento promovidas pelas ideias de um empresário e como elas impactaram o varejo da Inglaterra é o que proporciona o seriado Mr. Selfridge, disponível no Netflix. Uma aula de empreendedorismo, visão de negócio e inovação em um tempo em que telefones e motores à combustão ainda eram raridades.

Em quatro temporadas, a série retrata a vida do empresário norte-americano Harry Gordon Selfridge. Aos 51 anos, durante uma viagem de férias com a família, ele observou as diferenças entre o varejo norte-americano e o existente em Londres, e percebeu a oportunidade de abrir na cidade uma loja de departamentos, semelhante às já existentes nos Estados Unidos e na França. O modelo de negócio ainda não havia chegado à capital inglesa, na qual vigiam lojas especializadas para cada tipo de bem de consumo.

A perspicácia e vocação empreendedora de Selfridge podem ser notadas a cada capítulo. Além de edificar um prédio em uma rua pouco valorizada do centro, porém com grande circulação, partiram dele as iniciativas pioneiras de marketing em solo inglês, tais como as elaboradas vitrines, ações de publicidade e principalmente de ambientação da loja, permitindo que os clientes pudessem tocar os produtos.

A série também revela as mudanças de comportamento da sociedade londrina, seja em função das guerras, crises econômicas e do avanço tecnológico, e como eles impactaram na empresa.

As relações familiares de Selfridge são um capítulo à parte. Em especial a relação dele com os filhos e o modo como encarava a preparação do seu sucessor na companhia.

Uma maratona de episódios que proporciona momentos de aprendizado, relaxamento e diversão para quem é apaixonado por comércio e ou simplesmente quer entender como esse homem influenciou o consumo por prazer e por impulso em todo o mundo.

Curiosidades:

  • Harry Gordon Selfridge é autor do livro The Romance of Commerce, publicado em 1918. Na obra, ele aborda a história do comércio recontando as práticas mais comuns na China, Grécia, em Veneza, até os tempos da Companhia das Índias. O livro está disponível gratuitamente na íntegra, em inglês, neste link.
  • São atribuídas à Selfridge algumas das mais clássicas frase publicitárias como “Faltam tantos dias para o Natal”, e de liderança e negócios como:
    • “As pessoas vão se sentar e tomar conhecimento de vocês, se você vai sentar-se e tomar conhecimento de que os faz sentar-se e tomar conhecimento.”
    • “O chefe dirige seus homens, o líder treina-os.”
    • “O patrão depende de autoridade, o líder na boa vontade.”
    • “O chefe inspira medo, o líder inspira entusiasmo.”
    • “O chefe diz “eu”, o líder, “nós”.”
    • “O chefe corrige a culpa para a repartição; o líder corrige o colapso.”
    • “O chefe sabe como isso é feito, o líder mostra como.”
    • “O chefe diz “Vai”, o líder diz: “Vamos lá!”