Tempo oportuno

Feriados, como o da Páscoa, são oportunidades para o convívio com a família e integração entre as gerações. Passar tempo com pais, avós, filhos e netos ao redor da mesa, conversando na sala ou durante uma brincadeira possibilita que laços se estreitem e que valores humanos, tradições familiares e histórias sobre os antepassados sejam transmitidos com afeto.

Em cada família, região ou cultura, os valores, as tradições e as histórias são ricas e distintas, e passá-las adiante é um modo de educar e reconhecer o esforço e trabalho dos que vieram antes de nós.

A Páscoa é um bom exemplo disso, com rituais diferentes e um mesmo propósito, ela busca ensinar a importância do perdão, da doação e de vida nova.

Na tradição judaica, Pessach, como é chamada a Páscoa, carrega um significado de passagem. Também conhecida como Festa da Libertação, ela remete à libertação do povo judeu.

Na tradição cristã, a Páscoa representa a ressurreição de Cristo e a passagem para uma vida nova. É um momento de reconciliação, perdão e recomeço.

Entre os povos germânicos, o período da Páscoa marca o início da primavera e a transição dos dias mais frios e escuros para os mais ensolarados e quentes. A essa tradição estão ligados dois símbolos com os quais convivemos: o ovo e o coelho.

Isso porque o período da primavera era também de culto à deusa germânica da fertilidade, Eostre ou Ostara. Ou seja, era momento de semear a terra após o inverno. Os povos germânicos e eslavos tinha o hábito de, nessa época, presentear amigos e familiares com ovos, símbolos do início da vida. O coelho é também um dos símbolos ligados à fertilidade.

Entre persas e romanos também era um hábito presentear com ovos, associando novamente o alimento ao renascimento e à fertilidade.

 

Para proporcionar uma melhor integração, o Instituto Sucessor preparou algumas dicas de ações que podem ser feitas durante a Semana Santa e também no domingo de Páscoa.

 

Caçada aos ovos: Uma das mais tradicionais brincadeiras, a caça aos ovos sempre é uma oportunidade para entreter os pequenos e dar boas risadas. Esconda os ovos pela casa ou jardim e vá dando pistas para que eles encontrem os doces. Uma dica é fazer pequenas patas de coelhos com farinha molhada para entregar o rastro deixado pelo coelhinho.

Pintura das cascas: Costume germânico transmitido de geração em geração, a pintura dos ovos é ensinada aos pequenos ainda na escola. As cascas de ovos de galinha são coletadas ao longo dos meses, limpas em água com vinagre e depois tingidas com corantes naturais, comestíveis ou tintas atóxicas. Atualmente, os ovos são recheados com amendoim doce, balas de goma ou chocolates. Pendurar os ovos em árvores também é costume nas comunidades brasileiras colonizadas pelos imigrantes.

Receitas de família: Durante a Páscoa é hábito a reunião para um almoço na Sexta-feira Santa quando é preparado um peixe ou fruto do mar, principalmente entre os descendentes de portugueses. Assim, durante a preparação das refeições, se tem um momento de ensinar aos mais jovens as receitas aprendidas com os antepassados e cultivar tradições de família.