Uma nova luz para Porto Alegre

Para comemorar os 247 anos de Porto Alegre, a cidade foi presenteada com a conclusão das obras de remodelação de um importante centro cultural. Em atividade desde 2001, o Santander Cultural passa a se chamar Farol Santander Porto Alegre, sugestão de atividade cultural da semana.

Com a renovação do espaço, após três meses de obras, o Farol apresenta um novo conceito: além de receber exposições, o local terá o empreendedorismo como um dos seus pilares. As Arenas 1 e 2, criadas a partir dessa nova formatação, serão destinadas a debates sobre iniciativas globais sobre inovação, economia criativa e novos negócios.

A renovação do centro cultural revela a importância do espaço e o novo posicionamento da instituição, proposta a fomentar e apoiar as iniciativas empreendedoras. Exemplifica também como espaços consagrados da cidade e bastante visitados podem ser reposicionados e, assim, agregar um novo público.

Para a reabertura foi preparada a exposição Roda Gigante, com trabalhos da artista paulistana Carmela Gross. As obras estão em exibição no Grande Hall, no Átrio e no primeiro andar do prédio.

A Galeria foi reservada para a memória da cidade: um túnel do tempo detalha as diversas fases da Praça da Alfândega, dos bondes que circulavam pelo Centro, dos cafés, cinemas, clubes e hotéis que marcaram a história da Rua da Praia e seu entorno.

No Subsolo está o Cine Farol Santander, em atividade no local que foi o maior cofre da instituição bancária, além do Café Valkiria no Cofre e do Restaurante Moeda.

 

Farol Santander

Praça da Alfândega, Porto Alegre – Na esquina entre as ruas General Câmara e Sete de Setembro.

Horário: de terça a sábado, das 10h às 19h. Domingos e feriados, das 10h às 17h. Fechado às segundas-feiras.

Ingressos são vendidos no site e na bilheteria no local. A entrada é de R$ 10 (clientes Santander tem 50% desconto). Grupos escolares têm entrada gratuita mediante agendamento. Entrada franca no último domingo de cada mês.

Curiosidades:

  • A construção do prédio foi concluída em 1931 e inaugurada no ano seguinte, passando a abrigar o Banco Nacional do Comércio.
  • O projeto de engenharia é do Hipólito Fabre. A ornamentação externa leva a assinatura de Fernando Corona e Alfred Staege. O interior do prédio é obra do arquiteto polonês Stephan Sobczak.
  • A construção tem predominância do estilo neoclássico, mas também possui elementos dos estilos rococó e art nouveau.
  • Além do Banco Nacional do Comércio, o prédio foi sede do Banco Sul Brasileiro, do Banco Meridional e, desde 1999, do Santander.
  • Em 2001 o espaço passou a se chamar Santander Cultural e a receber exposições, shows, palestras, outros eventos e sessões de cinema.